Guarapuava

Professor da Unicentro visita Universidade Paris-Saclay para colaboração científica internacional

13/06/2024por Revista Visual

O professor Rogério Pincela Mateus, do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), realizou uma visita técnica à Universidade Paris-Saclay, na França. A viagem visou fortalecer os laços acadêmicos e promover a colaboração científica entre um grupo de pesquisadores.

 

“O objetivo principal da minha visita foi estabelecer uma parceria com o grupo de pesquisa de drosofilídeos desta universidade. Este grupo tem uma tradição de décadas em pesquisas em áreas como genética, genômica, comportamento, ecologia, sistemática e biologia evolutiva, utilizando como modelo este grupo de insetos extremamente importante, versátil e informativo para as ciências biológicas”, conta Rogério.

 

Os drosofilídeos são uma família de moscas pequenas, comumente conhecidas como moscas-das-frutas. São encontrados em todo o mundo, frequentemente em áreas onde há frutas maduras ou em decomposição, vegetais e outros materiais orgânicos fermentando.

 

Durante sua estadia na França, Rogério participou de uma série de atividades acadêmicas, incluindo palestras e reuniões de trabalho. “Durante a minha estadia no Instituto de Diversidade, Ecologia e Evolução da Vida da Universidade Paris-Saclay, eu assisti a alguns seminários. Além disso, iniciei as atividades de pesquisa nos laboratórios, objetivando a avaliação genômica de amostras de indivíduos de Z. tuberculatus coletados em dez localidades brasileiras, desde Pernambuco até o Rio Grande do Sul, as quais foram enviadas pelos colegas que participam do projeto”, afirma.

 

A visita integra o plano de um projeto maior, que reúne sete universidades brasileiras no estudo de uma espécie de drosofilídeo. Responsável pela descoberta da possível origem da espécie, o docente da Unicentro propôs uma parceria com o pesquisador da universidade francesa, Amir Yassin, que já trabalha com espécies do gênero há mais de duas décadas, e participou de trabalhos com pesquisadores brasileiros sobre outra espécie invasora, Zaprionus indianus, que chegou na América do Sul em 1999.

 

“Em 2023, eu fui convidado para participar de um projeto cujo objetivo é avaliar diversos aspectos relacionados com a recente invasão na América do Sul de uma espécie de drosofilídeo com potencial de ser praga na fruticultura, Zaprionus tuberculatus. Dentro deste projeto, eu fiquei responsável pela avaliação da possível origem dos indivíduos que invadiram nosso continente e também por tentar estabelecer o ponto de entrada provável e a rota de dispersão a partir deste ponto de entrada. Para isso, eu propus uma análise utilizando marcadores genéticos mais atuais, baseados em análises genômicas”, detalha o docente.

Na universidade francesa, Rogério também apresentou uma palestra sobre o tema “Evolução, Genética e Ecologia de Drosofilídeos Neotropicais”, com o trabalho desenvolvido nos laboratórios da Unicentro. “Apresentei os principais trabalhos que temos feito nos últimos 20 anos de pesquisa no Laboratório de Genética e Evolução da Unicentro, além de promover nossa instituição para os pesquisadores ali presentes, buscando informá-los sobre questões a quais já fomos capazes de responder e outras as quais ainda temos para serem respondidas, de tal forma a possibilitar o estabelecimento de outras parcerias”.

 

Rogério destacou a importância da cooperação internacional na pesquisa científica para a exposição de descobertas e desenvolvimento do trabalho. “A parceria iniciada com a minha visita à Universidade Paris-Saclay possibilitará a realização de diversas atividades de pesquisa que não temos acesso tão facilmente aqui no Brasil, tanto em termos de custo, quanto de especialização para a sua realização. Isso com certeza terá um impacto a curto prazo na qualidade e quantidade da minha produção científica. Além disso, esta visita está sendo importante para a divulgação internacionalmente de nossas pesquisas e, consequentemente, da nossa universidade, o que terá o efeito de abrir novas portas para outras oportunidades de visitas e parcerias, tanto para mim, quanto para meus alunos de pós-graduação e até mesmo outros pesquisadores da Unicentro”, disse.

Texto e Foto: Unicentro