Personalidades

Prêmio Visconde de Guarapuava: um sonho realizado

Conheça a história de uma das dermatologistas pioneiras da região de Guarapuava, Dra. Iara Rodrigues Vieira.

15/05/2023por Revista Visual

“Minha mãe me contava uma história de quando eu era criança, que eu saia correndo e puxava o avental dela que estava na cozinha e eu dizia ‘mãe eu vou ser médica, mãe eu vou ser médica’. Ela achava engraçado, que era coisa de criança, mas hoje vejo isso com outros olhos”.  

 

A vida nos dá muitos sinais sobre qual caminho devemos seguir. A história contada pela dermatologista, Dra. Iara Rodrigues Vieira, é de certa forma o ponto de partida de toda sua carreira como uma das pioneiras da especialização em Guarapuava. Antes mesmo de ingressar no curso de Medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Iara já tinha contato com a dermatologia através de uma médica conhecida de sua mãe, a Dra. Lucina Deck, dermatologista no Hospital de Clínicas e professora de dermatologia na UFPR.

“Ela me levou para o Instituto de Biológicas e Pesquisas Tecnológicas, onde ela tinha um departamento de micologia que tratava de fungos e colhia material dos pacientes dela. Então antes mesmo de começar a medicina eu já comecei na dermatologia sem perceber, acompanhando a Dra. Lucina”, conta Iara.

Ao ingressar na Universidade, Iara conciliava seus estudos com o acompanhamento junto à Dra. Lucina, como estagiária no IBPT. Lá ela desenvolveu conhecimento sobre diversas áreas, como: microbiologia, parasitologia e urinálise. Antes de se formar, Iara também despertou interesse por hansenologia, depois do contato com alguns pacientes em seu estágio, que eram comumente atendidos pela saúde pública. A partir disso, ela começou a receber orientação do dermatologista Dr. Roque Bueno de Oliveira, que fazia frente ao tratamento de pacientes com hanseníase.

“Até me formar, fiquei sendo orientada pelo Dr. Roque, com quem aprendi muita coisa sobre dermatologia”, explica.

Após se formar em Medicina pela UFPR, Iara começou a trabalhar como dermatologista, atendendo pelo SUS na cidade de Curitiba. “Essa era minha intenção. De oferecer atendimento para aqueles pacientes que não tivessem condições de pagar uma consulta particular. De oferecer um atendimento digno a essas pessoas”, acentuou Iara.

No ano de 1992, um convite da farmacêutica Zaclis Xavier e da enfermeira e ex-vereadora, Maria José Mandu, serviu de estímulo para a vinda de Iara até Guarapuava. Modificando o serviço de Hansenologia para Dermatologia Sanitária, que alguns anos depois daria origem ao Ambulatório Municipal de Pneumologia e Dermatologia Sanitária (AMPDS).

"Começamos a fazer uma equipe multiprofissional, porque eu entendo que o médico não atende sozinho, ele precisa ter sempre uma equipe, principalmente na saúde pública. Como existia essa possibilidade, começamos a formar uma equipe com enfermeiros e enfermeiras, assistente social, psicóloga e fisioterapeuta”, relata a dermatologista.

Em seu tempo com o AMPDS, Iara participou integralmente do desenvolvimento da dermatologia em Guarapuava, que antes da sua chegada disponibilizava atendimento apenas para casos de hanseníase. A equipe multiprofissional foi fundamental para o tratamento e conscientização de outras doenças dermatológicas. “No começo, a dermatologia aqui em Guarapuava era voltada única e exclusivamente para o atendimento de pacientes com hanseníase. A nossa vinda transformou num atendimento de dermatologia geral, atendendo todos os pacientes sem quaisquer discriminações”. O ambulatório atuou até meados de 2018, e desde então o serviço vem sendo continuado pelo SAE (Serviço de Atenção Especializada).

Além de ter influenciado o desenvolvimento da especialização em Guarapuava, a médica dermatologista atua nos dias de hoje como professora colaboradora no Departamento de Medicina da Unicentro, onde também faz a recepção dos residentes da área de dermatologia. “Isso também me gratifica bastante, porque sabemos que estamos formando futuros médicos e médicas humanizados, conscientizados no tratamento dos pacientes, na questão física, mental e espiritual. Saber atender esses elementos é indispensável”, finaliza.